Um pouco da história do telejornalismo

Imagens do Dia foi o primeiro telejornal brasileiro. Nasceu com a  TV Tupi de Assis Chateaubriand (Diários Associados) na primavera de 1950, exatamente no dia 19 de setembro. Durou um ano. Tinha um formato simples: o locutor Rui Resende produzia e redigia as notícias. Algumas notas tinham imagens feitas em filme preto e branco, sem som.

Mas o primeiro jornal de sucesso da televisão brasileira foi o Repórter Esso, também da Tupi. Ficou no ar de 17.06.53 até 1970, com sua inolvidável vinheta de abertura (“Aqui fala o seu Repórter Esso, testemunha ocular da História”), apresentado por dois destacados locutores de rádio: Kalil Filho e, depois, Gontijo Teodoro.Veja um video sobre o Repórter Esso:



Entretanto, no final da década de 60, as inovações tecnológicas importadas dos EUA, entraram no telejornalismo brasileiro e o Jornal Nacional, da Rede Globo de Televisão, criado por Armando Nogueira, estreou em 1º de Setembro de 1969, tornando-se líder de audiência e referência da imprensa nacional. Foi o primeiro a apresentar reportagens em cores, o primeiro a apresentar reportagens internacionais via satélite no instante em que os fatos ocorriam. O estilo de linguagem, a narrativa, a figura do repórter, o formato… tinham os telejornais americanos como modelo.


Em 1977 a Globo São Paulo colocou no ar um jornal de serviço: Bom Dia São Paulo, que até hoje vai ao ar de segunda a sexta, às 7h da manhã. Também incorporou novas tecnologias:  foi o primeiro a usar a UPJ (Unidade Portátil de Jornalismo) com repórteres entrando ao vivo de vários pontos da cidade, transmitindo informações de serviço como tempo, trânsito, movimentação da cidade, aeroporto etc. São características que permanecem até hoje. O sucesso deu origem ao Bom Dia Brasil, em 1983, que vai ao ar logo após o “Bom Dia” de cada praça, com o noticiário político gerado em Brasília.

A história do telejornalismo brasileiro destaca, também, o TJ Brasil, lançado em 04.09.1988, no Sistema Brasileiro de Televisão-SBT (de Silvio Santos). Também se inspirou no formato americano ao inovar com a emblemática figura do âncora Boris Casoy, que saiu do jornal impresso e logo se acertou com a TV, conquistando seu espaço e seu público. Em meados de 1997 Casoy foi para a TV Record.

Também em 1997 a televisão brasileira ganhou outro jornal importante, o Jornal da Band, igualmente influenciado pelos costumes americanos, apresentado por Paulo Henrique Amorim, com um estilo forte e opinativo, com informações exclusivas e ao vivo.

Tags: , , , , ,

Uma resposta to “Um pouco da história do telejornalismo”

  1. lucas farias da silva Says:

    Gosto muito do JN, admiro e sou muito fã de FÁTIMA BERNARDES E WILLIAM BONNER, pretendo me formar em jornalismo e um dia apresentar o JORNAL NACIONAL.

    LUCAS FARIAS
    FUTURO JORNALISTA DA ”REDE GLOBO”.

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: