Entrevista com Celso Unzelte

Celso Dario Unzelte nasceu em São Paulo, dia 27 de fevereiro de 1968, é um jornalista, pesquisador, comentarista esportivo e escritor brasileiro.

Depois de se formar nas Faculdades Integradas Alcântara Machado, em 1989, começou a carreira profissional em 1990, na Placar, de quem é colaborador até hoje. Posteriormente, escreveu para as revistas Quatro Rodas, Futebol Expresso e para o jornal Notícias Populares. Escreveu livros como Almanaque do Timão, Almanaque do Palmeiras e O Livro de Ouro do Futebol.

Foto de Celso Unzelte

Foto de Celso Unzelte

Atualmente está na ESPN Brasil, no programa Loucos por Futebol, mantém colunas às segundas-feiras no jornal Diário do Comércio e às sextas-feiras no site Yahoo! e é professor de jornalismo na Faculdade Cásper Líbero.

Confira uma entrevista exclusiva com Celso Unzelte a seguir:

Telesporte: Celso o que você guarda de lembrança do telejornalismo esportivo?

Entrevistado: “Foram as minhas primeiras referências de jornalismo, por ser a área que eu mais acompanhava. Infelizmente, nem sempre foram referências positivas: havia muita troca de favores e gentilezas com clubes, jogadores e dirigentes. Mas isso até foi bom, porque serviu para aguçar meu espírito crítico”.

Telesporte: O que eram os programas antigamente? Como eram as transmissões?

Entrevistado: “Não diferem muito do que é feito atualmente, pelo menos em relação aos últimos 30 anos, que é o período que eu acompanho: transmissões de jogos, noticiários dos clubes… Poucas foram as inovações. Um show do intervalo aqui, um tira-teima acolá. Mas de resto os programas esportivos têm basicamente o mesmo formato já há umas três décadas”.

Telesporte: O que você considera um marco no telejornalismo esportivo? Alguma uma transmissão que marcou? Alguma evolução?

Entrevistado:“O maior marco diz respeito à gradativa e crescente preocupação com mais informação e menos opinião, principalmente por parte das novas gerações de jornalistas. A abertura de canais a cabo e a internet também vêm ajudando muito nisso, como novos espaços para se desenvolver um jornalismo esportivo mais próximo do jornalismo que do esporte”.

Telesporte: Como você vê o seu programa – o Loucos por Futebol?

Entrevistado:“Como algo absolutamente original, mas que não se destina à grande massa. E, sim, a um público bastante específico. Creio que o Loucos só poderia mesmo ser transmitido por uma TV por assinatura, como é”.

Telesporte: Como você vê os programas do telejornalismo esportivo atual?

Entrevistado:“Divididos em dois blocos: o do lazer, do espetáculo, do show, geralmente ocupando espaço na TV aberta, por exemplo. E o da informação, exercido na TV por assinatura, internet etc. Creio que haja público para as duas vertentes, porém como jornalista esportivo me agrada mais fazer parte da segunda”.

Telesporte: Algum fato que você ache notório na historia do jornalismo esportivo da TV brasileira?

Entrevistado:“Acho que o ápice foi a escolha de um de nós, jornalistas esportivos, para o cargo de técnico da Seleção Brasileira. No caso, João Saldanha, em 1969”.

Telesporte: Qual a sua opinião acerca do futuro do jornalismo esportivo no Brasil?

Entrevistado:“Há cada vez mais gente enxergando o jornalismo esportivo como uma possibilidade de se fazer jornalismo sério. E isso sem dúvida não só se refletirá como já está se refletindo na qualidade do que é escrito e falado sobre esporte no Brasil”.

Tags: , , ,

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s


%d blogueiros gostam disto: